Simplesmente Dorcila

Poesias, crônicas, contos, mensagens

Textos


          GÓTICA

Olhar sombrio de dores escondidas,
lágrimas borradas a marcar-me o rosto,
hipnotizo incautos que me subestimam,
respeito a morte que a vida valoriza.

Pincel em breu a tingir-me as vestes,
me faço bela, mágica e poderosa.
Lábios em negro, eu seduzo a noite.
Em brilhos e cetins, faço minhas preces.

Meu céu é ébano sem nenhuma estrela.
Na lua banho-me em sais de orvalho.
Por lúgubres jardins, deslizo sem medo,
extraindo forças da minha tristeza.

Sou a coragem que enfrenta as sombras.
Uivos distantes me embalam o sono.
Sou névoa densa a embaçar caminhos.
Espectro a vagar entre os escombros.

Este açoitar do espírito me faz despótica
ao meu próprio ser em fortes chibatadas.
Na contramão da nivea luz que irradio,
em brumas descerro minha alma gótica.


19/05/2008
Rev.05/02/2017
Dorcila Garcia
Enviado por Dorcila Garcia em 19/05/2008
Alterado em 05/02/2017

Música: Prelúdio - Bach

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras